ISO 26000: como funciona e qual é a sua importância para a Responsabilidade Social

Já ouviu falar na ISO 26000? Trata-se de uma norma internacional de responsabilidade social que começou a ser desenvolvida em 2005, por meio do Grupo de Trabalho de Responsabilidade Social (GT), que passou a organizar a discussão sobre os pontos estratégicos que deveriam integrar esse novo documento.

Essa equipe contou com mais de 600 especialistas e observadores de cerca de 100 países. Com a aprovação de sua versão FDIS (Final Draft International Standard), aberta a votos de todos membros plenos da ISO, a norma foi considerada pronta e publicada em novembro de 2010.

Por que a ISO 26000 é importante?
O comportamento das organizações tem enorme impacto sobre a economia, a sociedade e o meio ambiente. As organizações empresariais, por exemplo, mobilizam grande quantidade de recursos materiais e humanos, e relacionam-se com diversos públicos ao longo das cadeias produtivas, que em muitos casos estendem-se por todo o planeta, envolvendo desde os produtores de matérias-primas até os consumidores finais. Produzem riquezas, mas também geram impactos sociais e ambientais.

Ao longo das últimas décadas, a crescente preocupação com as questões ambientais, os direitos humanos e trabalhistas, a pressão dos consumidores e os escândalos financeiros alertaram para a importância da atuação empresarial socialmente responsável. Mais recentemente, a crise financeira global e as evidências das mudanças climáticas evidenciaram a concretude e a profundidade dos riscos existentes. Diversas respostas têm surgido – desde práticas locais, que preservam direitos e definem deveres entre as partes interessadas, até tratados internacionais de grande legitimidade.

A ISO 26000 está alinhada e complementa a tais iniciativas, também respeitando os acordos internacionais pertinentes. Traz observações sobre como integrá-las em um corpo coerente, capaz de influenciar de forma eficaz as práticas organizacionais, além de respeitar as ações já consagradas e a autoridade das instituições legítimas e representativas.

Quem são os responsáveis pela criação da ISO 26000?
Para garantir que a diversidade de realidades sociais, econômicas, ambientais, culturais e de gênero existentes se expressasse na elaboração da norma ISO 26000, o GT procurou manter o equilíbrio em sua composição tanto entre homens e mulheres, quanto entre os diferentes segmentos sociais, ou stakeholders groups. Para isso, os participantes foram classificados em seis categorias:

  • Empresas;
  • Governos;
  • Consumidores;
  • Trabalhadores;
  • ONGs;
  • Organizações de “serviço, suporte, pesquisa e outros”.

Um equilíbrio que foi respeitado e aperfeiçoado ao longo do tempo. A norma, que tem caráter voluntário, ao invés de obrigatório, foi discutida por meio de oito reuniões plenárias que chegaram a 177 resoluções.

Quais são os principais pontos da ISO 26000?
A ISO 26000 organiza as múltiplas questões relacionadas à responsabilidade social em sete grandes temas centrais, cada um incluindo várias questões ou sub-temas. Alguns assuntos, como saúde e segurança, cadeia de valor e questões econômicas, não têm um tema específico, pois são tratados transversalmente. Cada organização, junto com seus stakeholderes, deverá avaliar e priorizar suas ações. Os temas centrais da norma são:

  • Direitos humanos;
  • Práticas do trabalho;
  • Meio ambiente;
  • Práticas leais de operação;
  • Questões de consumo;
  • Envolvimento comunitário e desenvolvimento;
  • Governança organizacional.

Como usar a norma?
A ISO 26000 não estabelece critérios a serem cumpridos, apenas faz recomendações. Não propõe um sistema de gestão específico, mas traz elementos que podem ser incorporados aos sistemas de gestão já existentes, sugerindo formas de integrar a responsabilidade social às atividades usuais da organização.

A norma serve como um guia para identificar as áreas da organização em que a incorporação da responsabilidade social é mais relevante, à luz de suas particularidades, impactos e interesses específicos, bem como dos públicos com os quais se relaciona (seus stakeholders). Orienta, também, sobre como lidar com os principais temas envolvendo a sociedade e o meio ambiente.

Você sabia?
A ISO 26000 foi elaborada para aplicação em qualquer tipo de organização, e não apenas por empresas. Além do setor privado, associações, entidades representativas, organizações governamentais e não governamentais estão contempladas pela norma – podem incorporar a responsabilidade social como princípio de gestão em todos os seus processos, de forma consistente e eficaz.

A ISO 26000 é uma norma certificadora?
Não. Diferentemente de algumas normas já consagradas, como a ISO 9001, de gestão da qualidade, e a ISO 14001, de gestão ambiental, a ISO 26000 não está vinculada a um processo de certificação. No entanto, mesmo depois de publicada, a discussão sobre certificação segue constante. Houve aumento no interesse pela norma nos últimos anos.

Assista ao vídeo sobre a ISO 26000:

Leave comment

Erica no Facebook

Facebook Pagelike Widget

Erica no Instagram

Erica no Twitter